sexta-feira, 15 de abril de 2011

O verão lá fora

Ele tem uma mania de dormir bonito. Não ronca nem sequer babinha escorrendo da boca. Pra provar que é de verdade, permite uma remela no canto do olho. Mas ainda mais ou menos acorda e te puxa pra perto, fazendo-te reparar que um braço nunca substituiu tão bem um travesseiro.
E é a beleza da remela no canto do olho que te faz adorar a idéia de desistir do verão lá fora. De calor o seu hálito basta.
Enquanto ele escova o dente, você dá um passo pra trás e imagina que aquelas costas deveriam estar escondidas num lugar do seu quarto pra você tirar de vez em quando. Então você pensa nos olhos, coxa, braço e já não tem mais espaço pra tantos pedaços. Mas você tem ele inteirinho e aceita, por que não?

Porque você conseguiu substituir um braço.
E ele, de costas, indo embora, não te incomoda mais.


Agora quem te acorda é o sol do verão lá fora...

3 comentários:

Roberto Borati disse...

é muito boa essa sua arte de escrevinhar, raíssa!

continue sempre, belíssimo escrito!

K disse...

O sol te acorda e te faz sentir. O calor, um calor diferente, mais calmo que te desperta a vontade de viver e sentir novamente. Você lembra do que passou, das memórias velhas que já não importam ou que você quer esquecer. Então o sentimento de saudade bate, o desejo de poder compartilhar o que você sente,o que você quer, o que você queria, o que você não pode, acabou..e o que restou..pode não ser o suficiente..

Usnave disse...

Basta dar um pulinho na Uruguaiana, que vai encontrar algumas pernas por lá...