segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Seja


Que não queira falar comigo, mas não me deixe falando sozinha.
Odeie, mas não faça de mim um caderno em branco.
Seja arrogante, antipático, egoísta, mas por favor, não deixe de ser.
Pense em não me querer, mas não me queira simplesmente bem.
Corte minhas asas, mas não me faça voar baixo.


Sem migalhas.

1 comentários:

Roberto Borati disse...

belíssimo escrito, parecendo ser uma dor pesada, gelada...mas depois pense na asa boa e voando alto.

um beijo.