domingo, 12 de abril de 2009

Meu porteiro.


Dizem por ai que felicidade é contagiante. Dizem por ai que bons ares geram bons ares. Eu agora entendo.

Agora, vejam vocês como uma situaçãozinha cotidiana pode influenciar mundos.

Meu porteiro. Todas as manhãs lá estamos nós: eu, meu sono e o meu “bom dia” xôxo, cumprindo mais uma rotina: go to school. Mas peraê rotina quando é surpreendida é sinal de novidade. E, se vocês não sabem, saberão agora, eu amo novidade! E amo mais ainda novidade quando é realmente inovada, não do tipo de “oi, comprei um carro novo”, mas “oi, comprei um carro laranja!”. Novidades e rotinas a parte, meu porteiro continuava lá, provavelmente tão cansado quanto eu, mas com certeza muito mais esperto do que quem vos fala: ele não se deixou levar.

Confesso que na primeira vez que nos tombamos pensei que sua reação fosse conseqüência - 4 anos pra me adaptar, hein - de um dia bom, vai saber. No terceiro dia estava já chegando a conclusão de que ele era meio maluco, vai saber. No quinto ele estava dando em cima de mim, vai saber. E eu, insistindo na idiotice de julgar, se querem realmente saber.

Isso tudo, porque meu porteiro tem um bom humor invejável. Enquanto o meu ‘bom dia’ terminava com um ponto, o dele com 10 exclamações, e um sorriso de brinde. E mesmo com a má educação matinal rondando os ares, ele com golpes de gentileza ainda insiste em ser miseravelmente agradável. Ai, pisou em mim feito seu madruga no chapéu. Droga, como ele consegue?

E sinceramente acho isso uma baita lição. Vivemos em um mundo em que se você não está na moldura daquilo que chamam de normal, você pede pra ser subjulgado por olhos gordos. Porque como dizia vovó Judá, quase sempre no fundo de um julgo habita uma pontada de dor de cotovelo.

Quer entrar na moldura da normalidade?
Siga as regras da rendição.
Dance, mas se possível com um copo na mão pra não perder o controle. Ria, mas ria baixo. Cante, mas nada de ultrapassar os decibés permitidos. Ah, e o sorriso tá largo demais, vai saber o que vão pensar, né.

HAHAHA, como se felicidade fosse algo controlável.

Alguém quer cantar na chuva comigo?

11 comentários:

Nexo Indefinido. disse...

muito lindo seu texto :D
passe no meu tambem :D http://nexonde.blogspot.com/

Lemon Blog disse...

parabens pelo texto.. moldura da normalidade foi otimo.. eheh


http://sasdelli.blogspot.com/

Eu amo a E.Y. disse...

Haja simpatia... Nem todos os moradores devem ser tão educados quanto você.

Beijos!
http://eu-amo-a-ey.blogspot.com/

Caroline Martins disse...

Raay :D
que lindo seu texto!
amei amei amei again,lembra? KKKK
e viva a novidade,sou uma louca por ela tbm. o/\o

Love ya my writter

xxxx

colunasdehercules disse...

Mto bom texto.... concordo e me identifico com ele..rs

Vo começar a acompanhar o seu blog :)

gaaabis disse...

eu adorei o seu ponto de vista.
Eu queria ser igual ao seu porteiro, mas infelizmente eu não sou.

caio disse...

Raíssa, belíssimo texto. O bom humor é indíspensável pra lidar com as situaçoes dos dia-a-dia, visto que, algumas são estressantes. Parabéns !

melissa disse...

UUSHAUAHSUAHSUA , ADOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOREI MINHA POETA :)
E EU QUERO DANÇAR NA CHUVA CONTIGO .
TE AMO !

Jac disse...

vc me mata de orgulho, dona Raissa Christini
juro que já sou tua fã e amo vir aqui
acho que é a unica coisa que eu relamente gosto de ler hehehe

Cadu Fagundes disse...

E Raissa desse jeito vc vai faser mais sucesso do que eu, no nosso livro !!!
Quando forem falar do livro vao falar "sabe aquele livro da Raissa e de um garoto la !",vai ser chato para eu ouvir isso ,mais o imporante mesmo e saber que vc tem um futuro brilhante !
Eu estou com orgulho de vc mais tbm estou com ciume !hauhauahuahuahua
Mais com todo o ciume que estou ainda aceito dançar na chuva com vc !hauhauahuahuahuahau
PARABENS !

fena disse...

encantador, como sempre.
beeeijos!